A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) afirmou esta sexta-feira que está a analisar o pedido do Instituto de Apoio a Criança (IAC) sobre o caso do jovem ridicularizado no programa Ídolos da SIC.

O secretário-geral do IAC, Manuel Coutinho, avançou esta sexta-feira à agência Lusa que o Instituto de Apoio à Criança solicitou à Entidade Reguladora para a Comunicação Social que avaliasse o caso.

Contactada pela Lusa, a ERC confirmou "a entrada de uma participação subscrita pelo Instituto de Apoio à Criança referente à emissão de 3 de maio de 2015 do Programa Ídolos da SIC".

"Esta participação, bem como as demais recebidas sobre a mesma emissão, encontram-se em apreciação pelos serviços da Entidade", afirma a ERC numa resposta escrita enviada a Lusa, sublinhando que "oportunamente proferirá a sua decisão sobre esta matéria".

O Bloco de Esquerda também enviou uma carta ao presidente da ERC, Carlos Magno, a defender a necessidade de avaliar se as práticas estabelecidas nas empresas de comunicação social protegem devidamente os menores e o seu direito à imagem e reserva da intimidade, bem como o seu direito à proteção legal contra qualquer forma de discriminação.

Para o BE, a "violência da caricatura" suscita "algumas preocupações sobre as práticas estabelecidas nas empresas e produtoras de comunicação social relativamente aos contratos que estabelecem com participantes nos seus programas e, em particular, o respeito pelo direito à imagem dos participantes".

O caso aconteceu no programa divulgado pelo canal televisivo no passado domingo, que mostra as orelhas do jovem a crescer durante a sua atuação, uma situação que gerou muitas críticas nas redes sociais e levou a SIC e a produtora do programa FremantleMedia a lamentarem o sucedido.

Já esta sexta-feira, a SIC voltou a lamentar o caso do jovem ridicularizado no programa "Ídolos" e manifestou à família do concorrente disponibilidade para dar "todo o apoio" que seja necessário para "minorar os efeitos que esta situação causou".

Numa curta nota, a estação de televisão refere que, "uma vez mais", lamenta "o que aconteceu, não só ao concorrente e à sua família, mas também aos espetadores".

A SIC acrescenta que "já apresentou desculpas à tutora do concorrente" e que enviou uma carta dirigida à família do jovem "a disponibilizar todo o apoio que seja considerado necessário para minorar os efeitos que esta situação causou".