O Laboratório de Investigação em Sexualidade Humana (SexLab) da Universidade do Porto anunciou, esta quarta-feira, que está a oferecer um programa de tratamento para a disfunção erétil, que pretende avaliar a eficácia da psicoterapia cognitivo-comportamental e do tratamento farmacológico.

Este estudo, que será realizado no Porto e em Lisboa, necessita de participantes com o diagnóstico de disfunção erétil devido a fatores psicológicos (dificuldades de ereção sem causa médica associada), com idades entre os 18 e os 50 anos, numa relação heterossexual há seis meses ou mais, sem psicopatologia e problemas de saúde ou toma de medicação que interfiram com a resposta sexual.

Segundo o coordenador do SexLab, Pedro Nobre, os voluntários receberão tratamento psicológico ou farmacológico gratuito durante um período de três meses, sendo avaliados no início, durante e no final da intervenção. Os terapeutas envolvidos no tratamento psicológico são psicólogos clínicos com formação especializada em terapia sexual, reconhecidos pela Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica.

«A terapia cognitivo-comportamental é uma intervenção psicológica utilizada com sucesso numa grande variedade de problemas psicológicos (desde a ansiedade até à depressão) e tem sido aplicada de forma sistemática também no domínio das dificuldades sexuais», salientou o investigador.

O tratamento farmacológico será da responsabilidade do médico urologista Pedro Vendeira, especialista em medicina sexual, e consistirá na toma de medicação com «inibidores da fosfodiasterase-5 (inibidores da PED-5)».

O estudo será levado a cabo na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. Os tratamentos (psicoterapia e medicação) serão prestados de forma gratuita e será garantida a total confidencialidade dos participantes.

Pedro Nobre considera que «este estudo pode ter implicações muito importantes no desenvolvimento e aperfeiçoamento de tratamentos psicológicos mais eficazes para as dificuldades sexuais e ajudar a desvendar os mecanismos de mudança terapêutica, permitindo um melhor conhecimento dos processos envolvidos no sucesso terapêutico».

Os interessados em participar neste estudo devem enviar um email para sexlab.fpceup@gmail.com.

O SexLab é o primeiro laboratório do país a conduzir de forma regular estudos de natureza experimental e psicofisiológica em sexologia em Portugal.

Importância dos fatores psicológicos na resposta sexual

Um estudo realizado pelo SexLab demonstrou a importância dos fatores psicológicos na resposta sexual tanto dos homens como das mulheres.

Os dados, hoje divulgados, no Porto, mostram que «a forma como as pessoas interpretam e lidam com as situações sexuais negativas é fundamental para explicar o desenvolvimento de dificuldades sexuais quando não existe uma causa médica evidente. Além disso, os pensamentos e emoções que as pessoas apresentam durante a atividade sexual determinam a sua reposta sexual e o prazer sentido».

A investigação sobre o papel das variáveis psicológicas no desenvolvimento de dificuldades sexuais em homens e mulheres sugere também que «os tratamentos psicológicos para as dificuldades sexuais poderão ser mais eficazes se se focarem na forma como as pessoas interpretam e lidam com as situações de insucesso sexual e se promoverem o aumento de pensamentos sexuais e emoções positivas experienciadas pelas pessoas durante a atividade sexual».

Segundo o investigador Pedro Nobre, coordenador do SexLab, neste estudo experimental participaram 160 voluntários (80 homens e 80 mulheres) sem dificuldades sexuais em que observaram dois filmes de conteúdo sexual, enquanto a sua resposta sexual era medida em tempo real (através de avaliação da circunferência do pénis no caso do homem e da vasocongestão vaginal no caso da mulher).