A mulher que conduzia a viatura que esta sexta-feira caiu numa ravina na Serra da Arrábida acabou por falecer no local, apesar das tentativas de reanimação efectuadas pelos bombeiros, disse à agência Lusa o comandante distrital de Bombeiros, Alcino Marques.

«Accionámos um helicóptero, que veio de Loulé, mas a senhora acabou por sofrer uma paragem cardíaca e faleceu no local, tendo sido resgatada já sem vida», disse Alcino Marques.

Setúbal: automóvel caiu na zona de parapente

O comandante distrital de bombeiros esclareceu que a mulher tinha sido assistida apenas pelos bombeiros e não pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) como tinha sido referido anteriormente.

«A equipa do INEM não conseguiu descer a escarpa», justificou Alcino Marques, reafirmando que o resgate da vítima seria «muito difícil e muito demorado» sem o apoio de meios aéreos.

«Recebemos o alerta às 17:17 e, após o reconhecimento do local, accionámos de imediato um meio aéreo mas o helicóptero demorou cerca de uma hora a chegar a Setúbal porque tinha o "kit" de combate a incêndio e teve de mudar para o "kit" de resgate», acrescentou.

Questionado sobre as causas do acidente, Alcino Marques disse não ter elementos para adiantar qualquer informação mas admitiu tratar-se de um «despiste ou, eventualmente, de um suicídio».