Os trabalhos de remoção de toneladas de terra e pedras da Estrada Nacional 238, na Sertã, causados por um aluimento de uma barreira que cedeu, vão prolongar-se pelo menos até segunda-feira, disse esta sexta-feira fonte da Câmara Municipal.

O aluimento, ocorrido durante a madrugada desta sexta-feira, cortou por completo o trânsito na via rodoviária na zona do Vale da Ursa, na Sertã, tendo a Câmara Municipal emitido um comunicado a transmitir preocupação relativamente às más condições da, reivindicando a sua requalificação.

«A Câmara Municipal da Sertã aproveita os factos recentes de deslizamentos de terras para dizer que a situação põe a nu as fragilidades desta via e a necessidade urgente da sua requalificação», pode ler-se na missiva, assinada pelo presidente da autarquia, José Farinha Nunes (PS).

Em declarações à agência Lusa, o autarca disse que é «frequente a queda de barreiras e instabilidade do piso, decorrentes das atuais condições da EN238» no troço entre Cernache do Bonjardim e Ferreira do Zêzere.

«A autarquia tem mostrado as suas preocupações junto das entidades competentes e reclama por uma via condigna que, ligando o IC8 ao IC9, sirva adequadamente e em segurança as populações, as empresas e a economia desta região», vincou Farinha Nunes.

«Esta é já uma pretensão antiga e de extrema importância porque é uma via estruturante e fundamental para a economia e o desenvolvimento desta região», reforçou.

Segundo disse o autarca, «com as atuais condições da EN238, o que está em causa é a segurança rodoviária, os fluxos turísticos e a economia, sendo que os custos de transporte de mercadorias são afetados entre 10% e 25% no seu custo pelas atuais condições desta estrada», observou.

A EN 238 vai continuar cortada ao trânsito por tempo «indeterminado», tendo Farinha Nunes assegurado que a mesma não vai ficar transitável nos próximos dois dias.

«Com os trabalhos de remoção que há que fazer e com o reforço obrigatório das barreiras, estes trabalhos nunca terminarão antes de segunda-feira», vaticinou.

Com a circulação automóvel cortada ao trânsito, a circulação pode fazer-se por uma via alternativa, limitada a veículos ligeiros, entre o Casal da Madalena, Mendeira e a ponte do Vale da Ursa, obrigando a um desvio na ordem dos quatro quilómetros.

As viaturas pesadas estão a ser encaminhadas para Ferreira do Zêzere, com atravessamento na ponte da Zaboeira, em Vila de Rei, outros pela A13, e posterior encaminhamento para outros destinos, como Sertã ou Abrantes.