A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta terça-feira a detenção de uma mulher pela presumível prática dos crimes de roubo qualificado e sequestro, em coautoria, que ocorreram em 2014 na serra de Aire, concelho de Porto de Mós.

O coordenador do Departamento de Investigação Criminal de Leiria, António Sintra, explicou que a mulher, empregada de balcão, é suspeita de ser coautora dos crimes de roubo qualificado e sequestro, juntamente com os dois homens que foram detidos pela PJ, há cerca de duas semanas.

Estas detenções inserem-se "no desenvolvimento de uma investigação relacionada com factos que tiveram lugar no mês de setembro de 2014, na Serra de Aire, estando presos preventivamente outros dois coautores", de 23 e 36 anos, refere a PJ em comunicado.

"A detida, com 35 anos, foi presente às autoridades judiciárias competentes, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de apresentações trissemanais em posto policial", acrescenta ainda a nota policial.

Aquando do anúncio da detenção dos outros suspeitos, o Departamento de Investigação Criminal de Leiria da PJ informou que os arguidos, sem ocupação profissional definida, interpelaram as duas vítimas "após abalroamento do automóvel em que se deslocavam, sendo uma delas sujeita a agressões e outra colocada na impossibilidade de resistir devido a introdução na bagageira do próprio veículo onde permaneceu durante período dilatado".

"Foi-lhes subtraído dinheiro em montante consideravelmente elevado, além de objetos pessoais e equipamentos de telecomunicações, alguns deles recuperados no decurso de ação policial recente", adiantou a PJ.

À agência Lusa, fonte da PJ explicou na altura que os arguidos residem no concelho de Porto de Mós, distrito de Leiria, e o móbil do crime, cometido na madrugada de 20 de setembro de 2014, foi o "roubo de dinheiro".

"As duas vítimas [um homem e uma mulher] estavam num café à noite e uma delas estava na posse de uma quantia de dinheiro consideravelmente elevada", cerca de 20 mil euros, referiu a mesma fonte, esclarecendo que os detidos "aperceberam-se e trataram de arranjar um plano para a desapossar desse valor".

Este responsável disse que os arguidos "esperaram que as vítimas saíssem, perseguiram-nas e, já na serra, num local ermo entre Alvados e Porto de Mós, embateram o veículo onde seguiam nas traseiras da viatura onde estavam as vítimas".

Após simularem o acidente, uma das vítimas, o homem, foi atingido com um taco de basebol, enquanto a mulher foi colocada na bagageira, afirmou a fonte da Judiciária à Lusa.