O Tribunal Judicial de Serpa decretou esta quinta-feira a prisão preventiva do suspeito de matar a tiro, na segunda-feira à noite, naquela cidade alentejana, um cabo da GNR reformado, disse à agência Lusa fonte da Guarda.

A medida de coação mais gravosa foi aplicada pelo juiz do Tribunal de Serpa, depois de o suspeito, de 34 anos, ter sido ouvido durante várias horas em primeiro interrogatório judicial.

Segundo a fonte da GNR, o detido foi conduzido para o Estabelecimento Prisional de Beja.

O homem é suspeito de ter assassinado a tiro um militar da GNR reformado, de 55 anos, na segunda-feira à noite em Serpa, tendo depois encetado fuga alegadamente na posse de duas armas de fogo.

Na origem do homicídio, ocorrido cerca das 22:25 junto a um café, estarão, segundo fontes da guarda, razões passionais.

As mesmas fontes avançaram à Lusa que se terá registado uma troca de tiros, tendo o suspeito, após atingir na cabeça o militar da GNR reformado, fugido com duas armas, a sua carabina e uma pistola, supostamente da vítima.

O alegado homicida entregou-se, na terça-feira, às autoridades, cerca das 11:30, depois de a GNR ter cercado durante algumas horas a casa onde se encontrava barricado, presumivelmente desde o início da manhã, na povoação de Pias, no concelho de Serpa.

De acordo com as fontes, foi o proprietário da habitação, alegadamente amigo do suspeito, que «serviu de intermediário» nas negociações com as autoridades, como conta a Lusa.

Nas operações da GNR, estiveram envolvidos os destacamentos territorial de Moura e de intervenção do comando de Beja.

A investigação do crime passou para a alçada da Polícia Judiciária (PJ) de Faro.