Um cidadão português raptado na Matola, arredores de Maputo, há mais de 20 dias foi esta quinta-feira libertado e encontra-se bem, disse à agência Lusa fonte da família.

O homem está a receber tratamento num hospital moçambicano por se encontrar desidratado, acrescentou a mesma fonte, explicando que durante o tempo de cativeiro lhe deram pouca comida.

O português, que terá mais de 70 anos, encontrava-se em cativeiro desde o dia 10 de abril, quando foi raptado por um número indeterminado de homens armados na cidade da Matola.

Em abril, outros dois raptos foram reportados em Moçambique, tendo ambos os casos culminado com a libertação das vítimas, segundo as autoridades moçambicanas.

O rapto do cidadão português foi o primeiro registado em Moçambique em 2014, depois de no último ano terem sido registadas várias dezenas de raptos, incluindo pelo menos quatro portugueses.