«O Ministério da Saúde antecipou a reunião mas, na realidade, não apresentou uma evolução positiva que possamos pensar sequer na possibilidade de suspender a greve», disse Guadalupe Simões, acrescentando: «Resta-nos apelar aos enfermeiros para que amanhã [sexta-feira] demonstrem a sua insatisfação perante esta situação».