O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) mantém a greve do setor previsto para sexta-feira, por ter sido inconclusiva a reunião desta quinta-feira com o Governo, disse à Lusa fonte sindical.

Em declarações à agência Lusa, após a reunião de com o Governo, a dirigente do SEP Guadalupe Simões disse que o Ministério da Saúde não apresentou qualquer proposta que pudesse levar a que a greve fosse desconvocada.

A reunião entre SEP e Governo estava marcada para dia 25, mas foi antecipada, tendo os enfermeiros levado para a negociação questões como a contratação de mais enfermeiros, harmonização salarial, progressão na carreira, valorização salarial dos enfermeiros especialistas ou pagamento de horas penosas e extraordinárias sem cortes.

«O Ministério da Saúde antecipou a reunião mas, na realidade, não apresentou uma evolução positiva que possamos pensar sequer na possibilidade de suspender a greve», disse Guadalupe Simões, acrescentando: «Resta-nos apelar aos enfermeiros para que amanhã [sexta-feira] demonstrem a sua insatisfação perante esta situação».


É que, acrescentou, na longa reunião, não foi possível que o Ministério da Saúde apresentasse «propostas concretas» em relação às principais exigências do SEP. Para o sindicato tal era «determinante» e, para o Governo, não era «discutível», disse Guadalupe Simões.

A greve de sexta-feira é o segundo e último dia de greve nacional dos enfermeiros, convocada pelo SEP em novembro, tendo ocorrido o primeiro há uma semana.