A mãe de uma aluna de uma escola secundária da Amadora, acusada de ter sequestrado, agredido e ameaçado uma professora, em maio de 2014, foi esta segunda-feira condenada a dois anos e dez meses de prisão com pena suspensa.

O  tribunal condenou a encarregada de educação a uma pena suspensa de prisão de dois anos e 10 meses, pelos crimes de sequestro e de ofensa à integridade física, tendo absolvido a arguida do crime de ameaça, e ao pagamento de uma indemnização de 94 euros, respeitante a despesas médicas.
 
O tribunal condenou também a arguida a um regime de prova (plano de readaptação), que deverá ser cumprido na íntegra para que a pena de prisão não se torne efetiva.

Na leitura da sentença, a juíza considerou “gravíssimo” o comportamento da arguida. A magistrada fez notar que os professores não têm que educar os alunos.

"Isto que a senhora fez foi gravíssimo. A escola não tem culpa que a sua filha tivesse faltado às aulas. Teve sorte de não ter antecedentes criminais. De futuro, tente saber o que é que a sua filha anda a fazer e vá às reuniões da escola", aconselhou a magistrada.

Durante o julgamento, a mulher, residente no concelho de Amadora, negou sempre a autoria dos crimes