A ambulância dos Bombeiros Voluntários de Ourém envolvida num acidente com um autocarro na quinta-feira, naquele concelho, que provocou 14 feridos, ficou «irrecuperável», disse esta sexta-feira o comandante da corporação.

«A ambulância tem vários danos e ficou irrecuperável. Trata-se de um prejuízo na ordem dos 45 mil euros», afirmou à agência Lusa Júlio Henriques.

O comandante da corporação explicou que a viatura é uma «ambulância de transporte múltiplo», usada, por exemplo, no transporte de doentes para a fisioterapia e outros tratamentos.

«Por acaso, comprámos duas viaturas novas recentemente para responder as necessidades da população para consultas e outras situações», referiu Júlio Henriques, garantindo que ao bombeiro será prestado o apoio de que necessitar, realçando, ainda, que as crianças e adolescentes que seguiam no autocarro estão bem.

O bombeiro da corporação de Ourém é a única vítima que se encontra hospitalizada na sequência do acidente, que ocorreu pelas 18:45, na localidade de Valada, Seiça.

Segundo fonte do Centro Hospitalar do Médio Tejo, que inclui os hospitais de Torres Novas, Tomar e Abrantes, «cinco crianças foram transportadas para o hospital de Torres Novas, juntamente com os dois motoristas» das viaturas envolvidas no acidente.

«Estes, posteriormente, foram transferidos para Abrantes, onde está a urgência médico-cirúrgica. Um teve alta e outro está, neste momento, na ortopedia», explicou a mesma fonte, referindo que outras sete crianças - e não cinco como anteriormente a Lusa noticiou - foram transportadas para o hospital de Tomar.

«As situações que as crianças apresentavam eram ligeiras, pelo que tiveram alta ainda no decorrer da noite de quinta-feira», adiantou, salientando que o estado de saúde do motorista da ambulância não é grave.

O presidente da Câmara Municipal de Ourém, no distrito de Santarém, esclareceu que os alunos frequentam o Agrupamento de Escolas Conde de Ourém e a escola secundária de Ourém e têm idades entre os 12 e 18 anos.

«Está toda a gente bem, com exceção do motorista da ambulância, que vai ser operado à rótula no hospital de Abrantes», informou Paulo Fonseca.

A Rodoviária do Tejo abriu um processo de averiguações para apurar as circunstâncias do acidente, acrescentou à Lusa o seu diretor, Paulo Carvalho, referindo que no autocarro seguiam 24 passageiros.

A GNR está a investigar.