Uma detenção por falta de habilitação legal para conduzir e 53 contraordenações ao Código da Estrada são o balanço da operação Boas Vindas, realizada pela Guarda Nacional Republicana entre a passada sexta-feira e domingo.

Condução sob o efeito de álcool, excesso de velocidade, uso de telemóvel durante a condução, e condução de viaturas não submetidas a inspeção periódica obrigatória foram os motivos das contraordenações resultantes daquela operação, durante a qual foram fiscalizados 3.631 condutores, informa um comunicado da GNR citado pela Lusa.

A iniciativa visou apoiar os emigrantes e turistas que visitam Portugal utilizando as fronteiras terrestres, reforçando o conceito de que o país é «um destino seguro», e decorreu nas fronteiras de Valença (Viana do Castelo), Vila Verde da Raia (Vila Real), Quintanilha (Bragança), Vilar Formoso (Guarda), Caia (Portalegre) e Castro Marim (Faro).

Realizada em colaboração com a Estradas de Portugal e a Associação CAP MAGELLAN, a ação mobilizou 220 guardas dos comandos territoriais de Bragança, Viana do Castelo, Vila Real, Guarda, Portalegre e Faro e consubstanciou-se na prestação de informação sobre as principais causas de sinistralidade, os tempos de repouso, sua periodicidade e duração, assim como na distribuição de folhetos aos condutores, elaborados em parceria com a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).