Cerca de 500 operacionais dos bombeiros, GNR e Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) mas também da Cruz Vermelha, Proteção Civil e Corpo Nacional de Escutas garantem a segurança e primeiros socorros aos peregrinos de Fátima.

A Operação Fátima 2016 da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) envolve 300 operacionais e está no terreno esta quinta e sexta-feira "e visa assegurar a prestação de assistência e socorro aos peregrinos" que participam nas cerimónias religiosas, refere, em comunicado, aquele organismo.

A operação, coordenada pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, inclui um posto de comando operacional, localizado no exterior do centro de saúde de Fátima, junto à chamada rotunda norte da cidade onde se integra um Centro Tático de Comando (CETAC), "meio vocacionado para a gestão e coordenação de eventos e ocorrências de proteção civil de elevada complexidade, longa duração ou grande dimensão", afirma.

O CETAC - que é visitado esta quinta-feira, às 18:00 pelo secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes - tem como função "assegurar o exercício da capacidade de comando, controlo e comunicações de todos os meios envolvidos no teatro de operações", adianta a ANPC.

Incluído neste dispositivo de socorro e segurança, o INEM irá garantir a coordenação das atividades de saúde em ambiente pré-hospitalar "incluindo triagem, evacuações primárias e secundárias e a referenciação e transporte para as unidades de saúde mais adequadas de qualquer situação de emergência médica" que ocorra durante a peregrinação.

Para tal, o INEM montou um hospital de campanha e possui meios próprios de emergência médica, onde se incluem duas Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER), quatro moto 4 e 51 operacionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de Emergência, técnicos operadores de telecomunicações de emergência, psicólogos e farmacêuticos, entre outros.

Já a GNR anunciou quarta-feira em conferência de imprensa que terá no terreno cerca de 200 militares, em cada um dos dois dias, de várias valências como a investigação criminal, cinotecnia, ordem pública, dispositivo territorial, inativação de explosivos, trânsito e operações especiais, que se encontram apeados, auto, de bicicleta, de moto e a cavalo.

Na altura, a GNR informou que no âmbito da operação Peregrinação Segura estará atenta à criminalidade, nomeadamente os furtos de carteiras e no interior de veículos assim como à segurança rodoviária e ao fluxo de trânsito, que, nos dias 12 e 13 de maio, regista um "elevado número de viaturas".

Cerca das 15:00 desta quinta-feira, de acordo com informação do Santuário de Fátima, estavam inscritos na peregrinação, 164 grupo de peregrinos de Portugal e do estrangeiro.