Dois polícias foram mortos em serviço no ano passado e nove ficaram feridos, com necessidade de internamento hospitalar, indica o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2013.

Segundo o RASI, os elementos policiais que foram mortos em serviço no ano passado pertenciam à GNR e à Polícia Marítima, enquanto a maioria dos feridos internados faziam parte da PSP e PJ.

Em consequência da atividade operacional das forças e serviços de segurança em 2013, ficaram ainda feridos 645 elementos policiais, dos quais 356 tiveram que receber tratamento hospitalar.

O relatório adianta que a maioria dos polícias feridos em serviço pertence à Polícia de Segurança Pública.

Em relação a 2012, o RASI refere que se registou, em 2013, mais uma morte de elementos policiais e um decréscimo do número de feridos com internamento (menos dois), sem internamento (menos 41) e sem necessidade de tratamento médico (menos 78).

O documento indica também que, no ano passado, a PSP registou danos em 92 viaturas em resultado da atividade operacional, mais 19 do que em 2012, cujo valor não foi ainda identificado.

Por sua vez, a Polícia Marítima contabilizou danos em quatro veículos e numa embarcação.

O RASI dá ainda conta que, em resultado do trabalho das polícias, duas pessoas foram mortas, tendo uma delas resultado de despiste de motociclo na sequência de perseguição policial, e 31 ficaram feridas, 19 das quais tiveram de receber tratamento hospitalar.