A disciplina de Biologia e Geologia foi a que registou melhores resultados entre as que tiveram o maior número de provas na 2.ª fase dos exames nacionais, com uma média de 10,5 valores, mais de dois valores acima das notas de 2014.

De acordo com os dados divulgados nesta terça-feira pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC), Biologia e Geologia registou uma taxa de reprovação de 10%, tendo subido a média entre os alunos internos (aqueles que frequentaram a disciplina ao longo do ano letivo) de 8,3 valores em 2014 para 10,5 valores em 2015.

Este exame foi realizado por 23.616 alunos, 15.724 dos quais internos.

No que diz respeito aos alunos internos, Português baixou a nota média face a 2014 em uma décima, de 9,8 valores para 9,7 valores, e Matemática A subiu para seis décimas, para 9,6 valores.

Física e Química A também subiu a média para um registo próximo dos 10 valores, melhorando os 8,5 valores de 2014 para 9,8 valores em 2015. Mais de 21 mil alunos realizaram este exame, cerca de 13.500 eram internos.

História A, uma disciplina frequentemente requisitada como prova de ingresso nos cursos das áreas humanísticas, melhorou a média em quatro décimas face a 2014, subindo para os 9,6 valores. Geografia A baixou um valor exato, para os 10,6 valores, e Filosofia piorou a média em mais de um valor, caindo dos 9,2 valores, de 2014, para os 7,8 valores, este ano.

Entre o grupo de disciplinas de teor mais artístico, Geometria Descritiva A chegou também à média positiva, subindo dos 8,2 valores para os 10 valores, e Desenho A melhorou quatro décimas, fixando-se nos 13,4 valores.

“Os exames da 2.ª fase apresentam resultados inferiores aos observados na 1.ª fase, o que se explica, em grande medida, pelo facto de se destinarem sobretudo aos alunos que não obtiveram aprovação na 1.ª fase”, refere o MEC, no comunicado hoje enviado.

Ainda de acordo com a tutela, a segunda fase dos exames nacionais do ensino secundário “decorreu com toda a normalidade em 649 escolas de Portugal”, tendo sido registadas 114.341 inscrições e 108.641 provas realizadas, “o que corresponde a cerca de 95% das inscrições”.

“Estiveram envolvidos no processo de classificação das provas 4.270 professores classificadores”, acrescenta a nota.