O Ministério Público arquivou o segundo inquérito contra o juiz Carlos Alexandre, que tinha sido aberto na sequência de uma denúncia anónima sobre uma alegada violação do segredo de justiça.
 
Segundo confirmou a TVI junto de fonte judicial, o procurador responsável pelo inquérito entendeu que esta denúncia não constituía meio de prova e que não havia qualquer indício de crime.
 
A denúncia, a segunda em três meses a envolver este juiz, dava conta que um jornalista da «Sábado» recebia de Carlos Alexandre informações de processos em segredo de justiça, em troca de não revelar um acordo entre o magistrado e um elemento da família Espírito Santo que existiria desde a «Operação Furacão».
 
Na sequência dos dois inquéritos que surgiram na sequência das duas denúncias, o juiz foi ouvido em tribunal, assim como o diretor do DCIAP e vários jornalistas, que não revelaram as suas fontes.
 
O primeiro inquérito já tinha sido arquivado e o segundo estava até agora pendente no Tribunal da Relação de Lisboa.