Os 22 refugiados impedidos de vir hoje para Portugal devido uma greve da companhia aérea alemã Lufthansa deverão chegar a Lisboa no domingo, disse este sábado o diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

"Amanhã [domingo] deverá chegar o segundo grupo", disse António Beça Pereira a jornalistas no final da sessão de acolhimento dos outros 22 refugiados, do total dos 44 inicialmente esperados este sábado, encontro que foi presidido pela ministra da Cultura, Igualdade e Cidadania, Teresa Morais.

O primeiro grupo de 22 refugiados já está em Lisboa e integra cinco famílias, compostas por 13 adultos, dois bebés e outras crianças mais velhas, que vão ser acolhidos em Penela, Sintra e Lisboa.

Estes refugiados chegaram de Munique, vindos do Egito, e fazem parte de um grupo de 44, que eram esperados hoje em Lisboa, tendo os restantes ficado retidos no Egito, uma vez que o voo comercial em que deviam viajar foi cancelado devido à greve de pessoal de cabine da Lufthansa.

"Sem neste momento termos certezas, contamos que no dia de amanhã [domingo] já seja possível concretizar-se a chegada do segundo grupo", avançou o responsável do SEF, acrescentando que, "infelizmente, houve uma greve numa companhia aérea que afetou a deslocação".

"Foi um momento menos feliz, esperemos que seja ultrapassado e a nossa expetativa é que amanhã [domingo] esse grupo consiga já chegar a Portugal", realçou António Beça Pereira.

O diretor nacional do SEF disse que o organismo tem protocolos com várias entidades para o acompanhamento e integração dos refugiados e tratará de assegurar que os objetivos definidos são cumpridos.

O grupo de 44 refugiados que vem agora para Lisboa tem adultos entre os 24 e os 40 anos, a maior parte dos menores tem menos de 12 anos, e 26 pessoas são oriundas da Síria, nove da Eritreia e oito do Sudão.

A escolaridade média ronda os nove anos e as profissões que desempenhavam nos países de origem vão desde canalizador e alfaiate até contabilista ou técnico de física e química.

Questionado acerca da receção do outro grupo de refugiados, deslocados pela guerra na Síria, António Beça Pereira disse aos jornalistas que "desde o dia 28 de setembro Portugal manifestou e notificou a Comissão (Europeia) de que está em condições de receber refugiados".

"A nossa expetativa é que venha um primeiro grupo ainda este mês, de 30, mas como referiu a senhora ministra, os países onde estes se encontram têm de fazer um processamento dos refugiados para que possam depois ser entregues ao outros Estados e é isso que está a faltar neste momento", recordou.