Nigel Farage, antigo líder do UKIP, falava em Estrasburgo, sobre as últimas decisões de Donald Trump quando o deputado trabalhista Seb Dance, levantou uma folha A4 com a inscrição “He's lying to you" ["Ele está a mentir-vos”].

O Parlamento Europeu reuniu-se esta quarta-feira para debater o decreto anti-imigração assinado por Trump e, de todos os grupos parlamentares, apenas os liderados pelo britânico Nigel Farage (eurocético) e pela francesa Marine Le Pen (extrema-direita) apoiaram as medidas de Trump.

O Trump irrita-vos porque é alguém que venceu as eleições democraticamente e está a cumprir as suas promessas. Isto é uma verdadeira democracia”, afirmou Farage.

Em declarações ao The Guardian, Seb Dance justificou o seu acto como a expressão da sua indignação pelas palavras de Farage que argumentava que o presidente dos EUA está apenas a defender a soberania do seu país ao decretar a medida anti-imigração.

Foi o resultado da frustração. Eu estava francamente farto de ouvir à minha volta mensagens nacionalistas e populistas, como se elas fossem a solução para os problemas das pessoas. A coisa realmente frustrante sobre o Parlamento Europeu é que nós não podemos intervir, enquanto ele [Nigel Farage] ia ter três minutos para poder falar sem ser interrompido. Achei que era de mais. Tinha de fazer algo muito bruto para protestar contra o que estava a acontecer”, afirmou Seb Dance, acrescentando que lamenta que o deputado tenha tanto tempo de antena em Estrasburgo.

O gesto, captado pelas televisões, indignou o UKIP e, por intermédio do deputado do UKIP Bill Etheridge, decidiu apresentar queixa pelo comportamento “nojento, patético e covarde" de Dance. O eurodeputado já respondeu e disse que aceita "de bom grado" "qualquer que seja a decisão do presidente e do Parlamento”.

A "guerra" entre os dois deputados não acontece por acaso. Nigel Farage, eurocético e presidente do grupo Europa da Liberdade e da Democracia Direta, representa uma fação política que é vista com desdém no Parlamento Europeu, tendo já por diversas vezes sido atacado por outros eurodeputados.