O Governo não vai cobrar novas portagens nas autoestradas A4 e A3, em sublanços junto aos concelhos da Maia e de Valongo, indicou o PCP do Porto esta quinta-feira, citando uma resposta remetida aos comunistas pela tutela.

Não se encontra prevista a cobrança de portagens na A4, autoestrada Águas Santas-Amarante, no sublanço entre Águas Santas e o nó de Ermesinde, em Ermesinde, concelho de Valongo, e na A3, autoestrada Porto-Valença, no sublanço Águas Santas-Maia, concelho da Maia", refere a nota dirigida ao PCP pelo gabinete do ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

Esta resposta surge na sequência de uma pergunta remetida ao Governo pelos deputados comunistas Jorge Machado, Ana Virgínia Pereira e Diana Ferreira, na qual o PCP referia que a introdução da circulação paga nestes troços "havia sido acordada com o anterior Governo PSD/CDS".

"O PCP entende que a introdução destas portagens é inaceitável, pelo que se impõe a imediata remoção desta intenção no plano de atividades deste Instituto [referindo-se ao Infraestruturas de Portugal], para que a mesma não seja concretizada", lia-se na pergunta remetida pelo PCP ao Governo.

Os comunistas congratulam-se assim com a resposta do Governo, considerando que com a "concretização deste compromisso" fica "salvaguardada a região, mas cai também por terra mais um dos planos do anterior governo PSD/CDS".

"Tentou até ao último momento da sua 'vida', impor medidas que lesam as populações e a economia do país - e neste caso concreto do distrito do Porto", referem os comunistas.