Um estudo sobre obesidade em crianças do primeiro ciclo concluiu que Portugal é um dos países com maior prevalência do problema, entre 17 países europeus, disse Ana Rito, investigadora do sistema de vigilância europeu da Organização Mundial de Saúde.

A obesidade afeta 14,6% das crianças portuguesas com idades entre os 6 e os 9 anos e 21% apresentam sinais de pré-obesidade, indica o último estudo conhecido do Sistema de Vigilância Nutricional Infantil (COSI Portugal) realizado em 2010.

O COSI (Childhood Obesity Surveillance Initiative) é um sistema promovido pela Organização Mundial de Saúde e estuda, de forma padronizada, as crianças de dezassete países europeus (Bélgica, Bulgária, Chipre, República Checa, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Malta, Noruega, Portugal, Eslovénia, Suécia, Grécia, Hungria, Macedónia e Espanha).

Em termos gerais, e apesar de terem passado mais de três anos sobre o último estudo, a responsável disse acreditar que os níveis de obesidade infantil no país se manterão estabilizados, afirmando que «uma em cada três crianças tem excesso de peso».

Os dados são referentes a uma amostra de cerca de cinco mil crianças de todo o país que frequentam o ensino primário.

«A obesidade infantil é das doenças mais prevalentes na criança e é um problema geral», tudo aquilo que «integre o ambiente que envolve a criança é importante para corrigir estas questões», alertou a nutricionista.

Quanto aos fatores que influenciem esta situação, Ana Rito disse que «a família está no topo da lista, porque os pais são os educadores», porém, não é possível identificar um agente único.

Para dar resposta à doença que a Organização Mundial de Saúde considera como «a epidemia global do século XXI», o programa MUN-SI para a promoção da saúde infantil em municípios vai lançar, na sexta-feira, dia 28 de novembro, a campanha «Alimente esta família».

Segundo adiantou Ana Rito, que também é a diretora do programa MUN-SI, esta campanha tem o objetivo de angariar fundos através de chamadas telefónicas para depois levar a cabo ações de acompanhamento nutricional de famílias.

O número da campanha é o 760 10 25 50. Está disponível a partir de sexta-feira, dia 21, sendo que a iniciativa se estende até abril.

«A cada 200 euros angariados ajuda-se uma família durante seis meses», explicou.

«As famílias serão identificadas pelos municípios que queiram participar nesta campanha, eles têm um papel extraordinariamente importante porque conhecem as suas realidades e a sua comunidade», acrescenta.

O programa MUN-SI é coordenado pelo Centro de Estudos e Investigação em Dinâmicas Sociais e Saúde, em parceria com as autarquias e com o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, e conta com o apoio dos Ministérios da Educação e Ciência e também da Saúde, acrescenta a Lusa. 

A apresentação desta campanha vai decorrer no Altis Grand Hotel, pelas 09:30, e insere-se no «European Obesity Forum 2014», que decorre entre os dias 26 e 28 de novembro.