Mais de mil casos de sarampo foram registados só em janeiro deste ano em 15 países europeus, com a Grécia e a França a reportarem um aumento significativo de infetados, segundo dados do Centro Europeu do Controlo de Doenças.

O balanço, que data da semana passada, mostra que a Grécia teve mil casos de sarampo entre janeiro e março deste ano e a França registou mais de 400 casos, enquanto a Itália indicava 164 casos.

O Centro Europeu de Controlo de Doenças recorda que o sarampo é uma doença severa e que, desde 2016, houve 57 mortes reportadas na União Europeia devido a esta infeção contagiosa.

Um novo surto de sarampo foi conhecido em Portugal esta semana, na região norte do país, depois de, em 2017, terem sido registados dois surtos coincidentes no tempo, que infetaram menos de 30 pessoas e causaram a morte de uma jovem de 17 anos.

O número de casos de sarampo confirmados na região norte está neste momento nos 21, mas há mais algumas dezenas de suspeitos, a maioria com ligação laboral ao Hospital de Santo António, no Porto.

O sarampo é uma doença grave, para a qual existe vacina, contudo, o Centro Europeu de Controlo de Doenças estima que haja uma elevada incidência de casos em crianças menores de um ano de idade, que ainda são muito novas para receber a primeira dose da vacina. Daí que reforce a importância de todos os outros grupos estarem vacinados de forma a que não apanhem nem transmitam a doença.

Em Portugal a vacina é gratuita, está integrada no Programa Nacional de Vacinação e deve ser administrada em duas doses.