O deputado do PS Filipe Neto Brandão anunciou esta quinta-feira que requereu ao ministro da Saúde esclarecimentos sobre uma denúncia à Ordem dos Médicos de estarem a ser marcadas «cirurgias fictícias» no Centro Hospitalar do Baixo Vouga.

Filipe Neto Brandão, na pergunta dirigida a Paulo Macedo, pretende saber que diligências foram desencadeadas pela Inspeção de Saúde «face ao teor das graves denúncias feitas pelos profissionais de saúde, tanto mais que é afirmado que parte dos comportamentos denunciados terá tido o fim de subtrair informação ao conhecimento da tutela».

Numa exposição dirigida ao Bastonário da Ordem dos Médicos há cerca de um mês, enviada também à Comissão Parlamentar de Saúde, mais de uma dezena de profissionais do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) alegam ter «conhecimento de inúmeros casos de agendamentos fictícios de cirurgias, em algumas especialidades, com o intuito de mascarar os verdadeiros números das listas de espera para envio à tutela».

Entre outras situações, os subscritores relatam a a afetação de «verbas que prioritariamente deveriam ser destinadas à melhoria de condições da atividade clínica para outros fins», designadamente «com assessorias totalmente alheias à prestação de cuidados de saúde».

Na exposição, os profissionais de saúde signatários relatam estar-se a verificar uma «diminuição da qualidade e segurança dos cuidados médicos prestados, em desrespeito pelos direitos dos utentes e o incumprimento das normas laborais em vigor» no CHBV.

De acordo com os subscritores da participação, foi dado conhecimento dos factos denunciados à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde.

A Lusa tentou, em tempo útil, obter junto da Administração do Centro Hospitalar do Baixo Vouga a sua posição sobre a exposição feita à Ordem dos Médicos.