A vacina Prevenar vai passar, a partir de julho, a ser gratuita para todos os doentes com infeção por VIH/sida, para doentes com implantes cocleares e para todas as crianças e jovens com diabetes.

Segundo uma norma publicada na segunda-feira pela DGS, estes são alguns dos grupos de risco definidos para quem é recomendada e gratuita a vacina Prevenar, que previne doenças provocadas pela bactéria pneumococo, como a pneumonia, meningite, otite e septicemia.

Esta vacina passa também a 1 de julho a estar integrada no Programa Nacional de Vacinação, sendo gratuita nos centros de saúde para todas as crianças nascidas a partir de 1 de janeiro deste ano.

Na norma publicada na segunda-feira, a DGS definiu os grupos de risco com direito a vacina da Prevenar gratuita, que foram identificados “em função dos potenciais ganhos em saúde a obter”.

Assim, passam a estar poder estar abrangidas pela vacina gratuita todas as crianças e adultos com infeção por VIH/sida e para todos os portadores ou candidatos a implantes cocleares (dispositivo auditivo para perda auditiva profunda bilateral).

Nas crianças e jovens até aos 18 anos, passam também a ser abrangidos pela vacina gratuita os diabéticos, os doentes cardíacos crónicos, os doentes hepáticos crónicos, os insuficientes renais e crianças ou jovens com algumas patologias respiratórias crónicas (como fibrose quística ou insuficiência respiratória crónica).

Estão ainda contemplados os menores de 18 anos com síndrome de Down, com síndrome nefrótico, crianças com cancros ativos, para dadores de medula óssea ou em casos de pre´-transplantação de órgãos.

No caso dos adultos, são abrangidos pela vacinação gratuita as pessoas com implantes cocleares (candidatos ou portadores), os portadores de VIH/sida, os recetores de alguns transplantes, doentes de células falciformes e pessoas com algumas neoplasias, como leucemias ou linfomas.

A DGS define ainda, para os adultos, um grupo de risco a quem é recomendada a vacina, mas sem ter direito a ela de forma gratuita. Neste grupo estão doentes respiratórios crónicos, adultos com insuficiência renal ou com doenças cardíacas crónicas, entre outros.

A vacina Prevenar passou, desde segunda-feira, a ter uma comparticipação estatal de 15% para todos os cidadãos que se dirijam à farmácia com receita médica.