No outono despem-se as árvores de folhas e o cabelo também começa a cair. Todos os dias caem entre 50 a 100 fios de cabelo. A dermatologista, Manuela Cochito, convidada do Diário da Manhã desta sexta-feira, desdramatiza este efeito, declarando que isso é “perfeitamente normal”. O número, embora pareça elevado, “não é muito, é normal dessa renovação”.

“O cabelo que cai é substituído. O nosso cabelo é como uma cidade, com cabelos crianças, adultos e velhinhos que morrem”, acrescenta a dermatologista.

A queda dá-se mais nos cabelos compridos, mas, acontece em pelo menos 70% das pessoas, segundo um estudo. Tal efeito produz-se porque os sensores de luminosidade que existem na nossa pele são mais estimulados no verão, o que faz com que os cabelos cresçam mais nessa altura e, proporcionalmente, caiam mais no outono.
 
Manuela Cochito frisa que “num caso não patológico, o cabelo vai renovar-se”. Isso não invalida que, durante todo o ano, se trate bem do cabelo. A chamada moldura do rosto exige também cuidados: uma alimentação equilibrada, dormir bem, manter-se hidratado, são bons aliados de um cabelo saudável.

A dermatologista também desfaz alguns mitos, como o excesso de lavagens que pode estragar ou enfraquecer o cabelo. “Depende do tipo de cabelo que temos”, explica Manuela Cochito. Por exemplo, se for um cabelo “oleoso e estiver brilhante, então está na altura de lavar, mesmo que seja todos os dias”. Tem é que ser lavado com “suavidade”, para “não estimular as glândulas sebáceas”.
 
Quanto ao uso dos secadores, a dermatologista faz uma distinção. Neste caso, o cabelo pode ficar estragado, mas os “secadores não danificam a raiz”. Quando esse fio cair, nasce um novo e saudável.