A Ordem dos Médicos (OM) garantiu esta terça-feira que vai expulsar os médicos que alegadamente desviaram doentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) para clínicas privadas e falsificaram documentos, se estes factos ficarem provados em tribunal.

A TVI denunciou, numa reportagem transmitida na segunda-feira à noite, que doentes do SNS «são levados, como mercadoria, para as clínicas privadas» e que há centros de saúde e hospitais públicos usados por médicos, em duplo emprego, para angariar doentes para as suas clínicas privadas.

A TVI revelou ainda documentos falsificados com diagnósticos, horários médicos, registos de consultas e o testemunho de dezenas de doentes que desmentem o que os médicos escreveram em documentos oficiais do próprio SNS.

José Manuel Silva, bastonário da Ordem dos Médicos, lamentou que as situações descritas sejam praticadas pelos médicos, mas aplaudiu as denúncias, pois permitem que os profissionais em causa sejam «penalizados» e sirvam de exemplo.

«A Ordem dos Médicos está determinada a separar o trigo do joio e expulsar todos os médicos violadores das normas éticas e que prejudiquem gravemente os doentes», afirmou o bastonário.

Por isso mesmo, José Manuel Silva não hesita em garantir que a Ordem dos Médicos «aplicará penas gravíssimas aos prevaricadores», se se comprovarem as denuncias feitas.

«A investigação deve ser feita pelo Ministério Público, pois trata-se de matéria da área judicial e criminal. Vamos aguardar que os tribunais façam a prova de que aqueles factos aconteceram, porque a Ordem não tem capacidade nem meios para fazer essa investigação, que não é técnico-científica», afirmou.

Como aspeto positivo, José Manuel Silva destaca o facto de as denúncias destes casos ao Ministério da Saúde terem partido de outros médicos, para que toda a classe não fique denegrida pelos atos praticados por alguns profissionais.