A Organização Mundial de Saúde alertou, nesta segunda-feira, para o alto nível de resistência aos antibióticos, que afeta países independentemente da sua prosperidade, recomendando que se aumente a vigilância.

Na apresentação dos primeiros resultados de um sistema de acompanhamento global, que analisou 500.000 pessoas em 22 países, a organização afirmou ter encontrado uma resistência alargada aos fármacos.

Entre as infeções mais resistentes encontradas são a salmonella ou a E.coli, entre outras "mais comuns e potencialmente mais perigosas" apontadas no relatório que prova a "situação séria" de resistência aos antibióticos.

O diretor do departamento da OMS que trata desta área, Marc Sprenger, afirmou em comunicado que este fenómeno não respeita fronteiras e apelou à criação de sistemas de vigilância para detetar resistência aos antibióticos.