O Serviço de Atendimento Permanente (SAP) dos Centros de Saúde de Idanha-a-Nova e Oleiros passa a encerrar à da meia-noite, disse hoje à Lusa o presidente da Unidade Local de Saúde (ULS) de Castelo Branco.

Vieira Pires explicou que o novo horário - entre as 8:00 e as 24:00 - começa a ser praticado já no domingo, em Idanha-a-Nova, e em Oleiros a medida entra em vigor a partir do dia 8 de dezembro.

Com esta medida, na área de abrangência da ULS de Castelo Branco (Penamacor, Idanha-a-Nova, Castelo Branco, Vila Velha de Ródão, Proença-a-Nova, Oleiros, Sertã e Vila de Rei), durante a noite, ficam apenas a funcionar o Serviço de Urgência do Hospital de Castelo Branco e o SAP da Sertã.

Vieira Pires garantiu que a decisão «não foi tomada de ânimo leve», mas disse que se impunha depois de um estudo, elaborado durante os últimos dez meses, ter concluído que, durante a noite, o número de doentes «é muito reduzido».

«Em Oleiros, a média é de 0,16%, ou seja, são precisas cinco a seis noites para que haja um doente. Em Idanha-a-Nova, a média é um pouco mais alta, são necessárias três a quatro noites», afirmou.

O presidente da ULS de Castelo Branco referiu que, «por não haver doentes», se estava a «desperdiçar dinheiro», que pode ser utilizado «em meios mais úteis e que beneficiarão mais as populações».

Vieira Pires acrescentou que, nesse sentido, será deslocalizado mais um médico para Oleiros, onde atualmente o serviço é assegurado por dois médicos a tempo inteiro, por outro a meio tempo e por uma médica de Saúde Pública algumas horas por semana.

Além disso, será assinado um protocolo de cedência do primeiro piso do edifício do centro de saúde à Câmara Municipal de Oleiros e à Santa Casa da Misericórdia.

A Administração Regional de Saúde do Centro terá também assumido o compromisso de promover, nos dois concelhos, formação em cuidados de saúde emergentes e agudos.

Para Idanha-a-Nova, que tem atualmente seis médicos, o presidente da ULS deixou a garantia de que os enfermeiros passam a ir com mais frequência às freguesias mais distantes para dar apoio nos cuidados de saúde primária.

Vieira Pires garantiu que deu conhecimento da decisão aos presidentes de câmara dos dois concelhos.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, disse não ter «conhecimento oficial» da medida, mas referiu estar «veemente contra».

«Só me foi transmitida a intenção. Não tenho conhecimento oficial de que já haja uma decisão e não conheço nenhuma data. Seja como for, a confirmar-se tal notícia, obviamente que me insurjo contra ela porque este ou qualquer outro fecho prejudica e piora a qualidade de vida dos cidadãos. No fundo, é mais uma forma de esvaziar o Interior», afirmou.

O presidente da Câmara de Oleiros, Fernando Jorge, confirmou ter-se reunido com o presidente da ULS de Castelo Branco.

«Foi-me deixado o compromisso que, no dia em que o SAP encerrar durante a noite, serão melhoradas as condições de atendimento e assistência no sentido de a população ter um serviço de mais qualidade», garantiu.

As alterações da ULS de Castelo Branco também abrangem o SAP de Penamacor, com um alargamento de horário ao fim de semana. O serviço, que atualmente funciona entre as 9:00 e as 13:00, ficará aberto até às 18:00.