A ARS-Norte vai lançar em abril novos concursos para a contratação de «70 a 80» médicos de família destinados a colmatar alguns problemas que ainda existem, nomeadamente no Baixo Tâmega, disse à Lusa Virgílio Macedo, do Grupo Parlamentar do PSD/Porto.

No final de uma reunião com o novo presidente da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte), Álvaro Almeida, destinada a debater «alguns problemas do sector no distrito», Virgílio Macedo referiu ter recebido a indicação de que «irá ser dada paricular atenção aos concelhos do Baixo Tamega, nomeadamente a Felgueiras e Baião, que têm ainda algumas deficiências em termos de cobertura de médicos de família».

«Essa situação será obviamente resolvida com estas novas contratações no curto prazo e penso que isso é uma boa notícia para as suas populações», considerou.

Virgílio Macedo contou à Lusa que, de acordo com as informações recebidas do presidente da ARS-Norte, “estão em negociação novos acordo com as Misericórdias de Felgueiras e Marco de Canaveses”

«Para além de haver a renegociação do protocolo existente, poderá existir a possibilidade de alargamento de serviços, nomeadamente de consultas e de pequenas cirurgias», sustentou.

Na reunião foi ainda comunicado ao Grupo Parlamentar do PSD/Porto que foram já lançadas as obras para a abertura de dois novos centros de saúde no distrito, um na Batalha, no Porto, e o segundo em Vilar de Andorinho, Vila Nova de Gaia. Foi também referido que, a curto prazo, vai ser iniciado o processo de reconstrução do Centro de Saúde de S. Martinho do Bougado, na Trofa.

Os deputados social-democratas questionaram ainda a ARS-Norte sobre o porquê da não abertura da Unidade de Saúde Familiar (USF) de S. Martinho do Campo, em Santo Tirso.

«Segundo o presidente da ARS-Norte, desde o dia 09 de fevereiro que a Câmara Municipal de Santo Tirso tem um protocolo para analisar e para ser assinado entre as duas entidades, para que finalmente essa USF seja aberta», disse Virgílio Macedo.

Segundo o deputado do PSD, «trata-se de uma USF que está pronta a ser utilizada e que vai servir 15 mil utentes. Ainda não foi aberta porque desde o dia 09 de fevereiro os serviços jurídicos da Câmara de Santo Tirso não tiveram oportunidade de validar o protocolo que foi enviado, a tempo e horas, por parte da ARS-Norte».

«Aqui faço um apelo ao presidente da autarquia para que dê uma ajuda na sua Câmara para que os utentes de S. Martinho do Campo tenham finalmente uma USF nova a funcionar, como merecem, porque efetivamente isso só depende da Câmara de Santo Tirso e não da ARS», frisou.

De acordo com informações prestadas pela ARS-Norte ao Grupo Parlamentar do PSD/Porto, liderado por Virgílio Macedo, «cerca de 96% do utentes do distrito tem médico de família, o que é uma média muito superior à média nacional».