Um estudo da Universidade de Coimbra (UC) conclui que Grande Porto, Cávado, Tâmega e Minho-Lima são as regiões do país com maior registo de mortes por causa do cancro do estômago.

O estudo, ainda em curso, tem como principal objetivo analisar a variação geográfica dos óbitos causados por diferentes tipos de cancro em Portugal Continental. Procura também estimar a sua associação a fatores sociais e ambientais.

A equipa multidisciplinar da UC analisou o número de mortes ocorridas entre 2007 e 2009, causados por 14 tipos de cancro, nas 28 regiões definidas pela divisão territorial NUT III (Unidades Territoriais Estatísticas de Portugal), refere a Lusa.

Manuel Alvarez e Helena Nogueira, coordenadores do estudo, realçam que o conhecimento da variação da patologia ao longo do território nacional «é bastante útil para a definição de áreas de risco, por tipo de cancro, e relevante para os cuidados primários de saúde, permitindo o desenvolvimento de ações de prevenção dirigidas e a alocação de recursos adequados para a melhoria da qualidade dos serviços médicos».

A UC diz também que, nesta primeira fase do estudo, foram encontradas associações significativas entre o aumento do risco de morte e os indicadores de desenvolvimento socioeconómico das regiões estudadas.

O estudo prosseguirá agora no terreno, com a aplicação de inquéritos individuais.

«Vão ser avaliados fatores como qualidade do ambiente, natural e construído, os hábitos alimentares, os acontecimentos de vida (divórcio, desestruturação familiar, etc.) e o desemprego, entre outros¿, concluiu a Universidade de Coimbra.