A Câmara de Arouca informou hoje que os dois complexos desportivos municipais com piscinas estão encerrados para uma "desinfeção profunda" após ter sido detetada em ambos os locais uma estirpe da bactéria legionela com "diminuta perigosidade".

Em comunicado, a autarquia explica que o problema foi identificado em análises de rotina, sendo que "foi confirmada a presença da bactéria 'Legionella spp' no Complexo Desportivo de Arouca" e também no de Escariz, embora nesse apenas "em quantidade residual".


O documento assegura que a estirpe encontrada nesses equipamentos é "muito diferente da detetada em Vila Franca de Xira" [que em novembro do ano passado causou a morte a 12 pessoas e infetou 375] e realça que "dado o seu diminuto grau de perigosidade", a Administração Regional de Saúde sugeriu "apenas a limpeza dos filtros" em ambos os edifícios.

"Todavia, a Câmara Municipal optou por manter os equipamentos encerrados, levando a cabo uma intervenção profunda ao nível da limpeza e desinfeção em todas as tubagens, tanques, filtros, rede de água quente sanitária e condutas de ar, indo além do recomendado", nota o comunicado.


Esses procedimentos estão a ser realizados por uma empresa certificada e, dada a sua "profundidade, complexidade e minúcia", as piscinas manter-se-ão encerradas até que correspondam novamente aos "padrões máximos de qualidade".

Não foi adiantada uma data para reabertura das piscinas ao público, mas a autarquia realça que as intervenções em causa visam "garantir total segurança e qualidade no serviço prestado" por ambos os complexos desportivos, "não havendo razão para qualquer tipo de alarmismo".