O ministro da Saúde revelou esta quarta-feira que está a renegociar o acordo com o laboratório que comercializa o medicamento inovador para a hepatite C, tendo em conta que houve um aumento de doentes tratados com este fármaco.

Adalberto Campos Fernandes falava aos jornalistas no final da reunião conjunta das comissões de Saúde e Orçamento sobre o Orçamento do Estado para 2016, durante a qual afirmou que a despesa com o tratamento de doentes com hepatite C contribuiu para a derrapagem orçamental em 2015.

De acordo com a nota explicativa do Orçamento do Estado para 2016, em 2015 foram gastos 40 milhões de euros com o tratamento destes doentes, estando prevista uma despesa de 85 milhões de euros para 2016.

O acordo firmado entre o anterior governo e o laboratório que comercializa o fármaco inovador previa um gasto de 100 milhões de euros em cinco anos, a um ritmo de 20 milhões de euros por ano.

Questionado sobre esta discrepância de valores, o ministro disse que está em curso uma renegociação deste acordo, a qual deverá estar concluída no final deste mês.

O ministro esclareceu que “não serão postas em causa as expetativas dos doentes” relativamente ao tratamento da hepatite C.