O secretário de Estado e adjunto da Saúde disse esta terça-feira que “o Estado saberá encontrar a capacidade de resposta” para a realização das colonoscopias necessárias na região da Grande Lisboa.

Fernando Leal da Costa, que falava aos jornalistas no final da apresentação do Relatório da Primavera de 2015, do Observatório Português dos Sistemas de Saúde (OPSS), escusou-se a revelar se o Estado vai aumentar o valor pago às clínicas privadas pela realização de colonoscopias, com anestesia, através do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

“Nunca deixámos de estar dispostos a corrigir os valores”, disse Leal da Costa, deixando um aviso: “Existem valores que não voltarão a ser pagos”.


Segundo a Europacolon - Associação de Apoio ao Doente com Cancro Digestivo, o número de especialistas e clínicas que realizam colonoscopias em Lisboa é manifestamente insuficiente para as necessidades.

“Em Lisboa existem apenas seis unidades de saúde que realizam colonoscopias pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) por um valor entre os 14 e os 28 euros, com anestesia. No sector privado os exames continuam a custar mais de 400 euros”, disse Vítor Neves, Presidente da Europacolon.


Leal da Costa reconheceu as dificuldades na realização de colonoscopias em Lisboa, atribuindo-as à falta de gastrenterologistas.