“O SiNATS é um sistema dinâmico que vai evoluir. Não vamos conseguir avaliar todos os dispositivos médicos logo, vamos investir nos que têm mais impacto”, disse à Lusa. 










“Há inovadores importantes e úteis para as pessoas e outros que, com a mudança da cor da caixa, o preço aumenta desmesuradamente”, disse.