Dos 6.880 tratamentos contra a hepatite C finalizados, 6.639 resultaram na cura dos doentes, revelam dados do instituto que regula o setor do medicamento (Infarmed).

O Infarmed autorizou 17.591 tratamentos contra a hepatite C, tendo sido iniciados 11.792 tratamentos.

Dos tratamentos finalizados (6.880), 6.639 doentes ficaram curados (96,5%) e 241 (3,5%) não.

A propósito do Dia Mundial Contra as Hepatites, que se assinala na sexta-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou dados que mostram que as hepatites virais provocaram 1,34 milhões de mortos em 2015.

Este número é comparável ao das mortes causadas pela tuberculose e é maior do que os provocados pelo VIH.

A OMS ressalva que, enquanto o número de mortos provocadas por hepatites virais tem vindo a crescer, os causados pela tuberculose e o VIH estão a descer.

O Dia Mundial Contra as Hepatites é uma oportunidade para impulsionar as iniciativas com vista à aplicação da primeira estratégia mundial do setor da saúde contra as hepatites víricas (2016-2021) e ajudar os Estados-membros a conseguir o objetivo final: eliminar as hepatites.

Onze países concentram quase metade da carga mundial de hepatites crónicas: Brasil, China, Egito, India, Indonésia, Mongólia, Birmânia, Nigéria, Paquistão, Uganda e Vietname.

Outros 17 países apresentam uma alta prevalência da doença: Camboja, Camarões, Colômbia, Etiópia, Filipinas, Geórgia, Quirguistão, Marrocos, Nepal, Perú, Serra Leoa, África do Sul, Tailândia, Tanzânia, Ucrânia, Uzbequistão, Zimbabué.

Os 28 países têm 70% da carga destas doenças.

Em Portugal, o Dia Mundial Contra as Hepatites será assinalado com a apresentação do relatório do Programa Nacional para as Hepatites Virais (2016-2017) e das linhas estratégicas do Programa Nacional para as Hepatites Virais (2017-2018).

Na sessão participará o cantor Rui Reininho, para a apresentação do testemunho «Hepatite C na primeira pessoa».