Só no ano passado, os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) atenderem mais de 40% de urgências falsas. Ao todo, em 2014 foram atendidas mais de seis mil pessoas nas urgências. Os dados são avançados pelo jornal Público e constam de um relatório do Ministério da Saúde, enviado à Assembleia da República.

Desde 2012 que aumentam os casos de urgência, no entanto, o documento agora conhecido revela que 40% dos doentes que receberam pulseiras verdes, azuis ou brancas poderiam ter sido atendidas noutro local. Estes casos, aptos para atendimento nos centros de saúde, surgem como falsas urgências.

Apesar do valor elevado, houve uma descida de 2%, na afluência às urgências em 2014, comparativamente a 2013.

Ainda segundo o Público, o relatório revela que em 2014 existiam quase 1,5 milhões de pessoas sem médico de família.

Ainda a propósito da saúde dos portugueses, o ministro da Saúde disse hoje que há cerca de dois milhões de portugueses que não vão ao médico de família, um número superior aos utentes ainda sem clínico atribuído.