Os técnicos de diagnóstico vão iniciar uma greve por tempo indeterminado a partir do dia 31 de março em protesto pelo bloqueio negocial das carreiras por parte do Ministério da Saúde.

Em comunicado enviado à Lusa, o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica (STSS) anunciaram esta terça-feira que a decisão de avançar para uma greve por tempo indeterminado foi tomada no final da semana passada numa reunião da direção do sindicato.

«O STSS entende que o ministro da Saúde deve explicações aos utentes do Serviço Nacional de Saúde pois serão os grandes lesados de uma greve que, em condições de normal respeito do governo pelas regras de um Estado de direito, não deveria acontecer», refere a nota.


Análises clínicas e outros exames de diagnóstico e terapêutica poderão ser afetados pela greve, que pode ainda ter impacto em cirurgias programadas.

Os técnicos de diagnóstico já cumpriram este mês dois dias de protesto, uma paralisação contra «o bloqueio negocial das carreiras, imposto pelo Governo, em clara violação da lei».

Segundo o sindicato, a necessidade de revisão das carreiras dos profissionais de diagnóstico e terapêutica tem sido reconhecida pelos governos nos últimos 14 anos, sem que ainda se concretizasse a alteração pretendida.

Relativamente ao diálogo negocial, os sindicalistas acusam o atual Ministério da Saúde de bloquear as negociações sem qualquer explicação.

O sindicato refere ainda que «não compreende a discriminação de que são alvo estes profissionais» por serem o único grupo de licenciados na área da saúde sem uma carreira compatível com a respetiva qualificação.