A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve abriu concurso para contratar temporariamente médicos de várias especialidades, para reforçar as unidades de saúde da região durante o período de verão.

A contratação de médicos especialistas de medicina interna, geral e familiar, anestesiologia, ortopedia, ginecologia/obstetrícia, pediatria, cirurgia geral, nefrologia e oncologia, decorre no âmbito do modelo excecional de mobilidade de pessoal médico aprovado pelo Governo, com vista a reforçar os cuidados de saúde no Algarve, até 30 de setembro.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da ARS/Algarve assegurou que, no processo de recrutamento especial que decorre em conjunto com o Centro Hospitalar do Algarve (CHA), “serão também aceites candidaturas de clínicos de outras especialidades, além das indicadas no concurso”.

Paulo Morgado considerou que este regime de exceção concedido pelo Governo “é muito importante, pois permite que médicos de outras regiões do país possam prestar serviços” durante um período em que a população do Algarve aumenta significativamente.

O responsável da ARS/Algarve acredita que o regime de mobilidade de exceção possa ser aliciante para alguns médicos, perspetivando que as necessidades para o reforço de verão sejam preenchidas.

À semelhança do que aconteceu no ano passado, acredito que consigamos ter médicos interessados. Os médicos não precisam de ter autorização das instituições de origem, o que é muito importante, bastando apenas a vontade de vir”, sublinhou.

O regime de mobilidade de exceção vigora até 30 de setembro e pretende atrair médicos qualificados que possam reforçar os serviços de saúde algarvios e garantir a cobertura de cuidados, bem como para assegurar a constituição de escalas de urgência.

A adesão ao Reforço à Assistência Médica no Algarve durante o período de verão é voluntária, dependendo sempre da apresentação de candidatura dos clínicos, mediante preenchimento do formulário disponibilizado pela ARS/Algarve.

As candidaturas dispensam o acordo das instituições hospitalares de origem e conferem ao médico o direito ao pagamento das ajudas de custo e eventuais despesas de transporte.