Quando adormecer um filho pode ser um filme de terror, Filipa Sommerfeld Fernandes, especialista em Sono infantil, dá dicas para pais desesperados.

A convidada do Diário da Manhã desta segunda-feira já recebeu, no seu consultório, “pais que já estão num ponto de cansaço e de privação do sono há muito tempo – alguns de anos – e isso interfere não só com o contexto social e a harmonia, interfere também com a saúde das pessoas”, acrescentando que já atendeu “pais que tiveram acidentes de carro porque adormeceram, já tive pais que perderam o cabelo pelo stress”.

A hora de deitar pode tornar-se numa história sem fim, com pais que dormem no chão do quarto dos filhos e crianças que adormecem na cama dos pais, não dando aos progenitores o conforto de um sono reparador.

Para ajudar esse pais, e também os filhos, Filipa Sommerfeld Fernandes, especialista no sono, acaba de lançar um livro com histórias para os filhos e dicas para os pais.

“10 histórias para adormecer sem medos nem birras”, com ilustrações de Pedro Benvindo, promete, segundo a autora, ensinar estratégias para pôr as crianças a dormirem, com tranquilidade e de forma não penosa. Independência não é “deixá-las num quarto escuro a chorarem até adormecerem”, esclarece a especialista.

“Podem-se fazer as coisas de forma carinhosa, tranquila, mas não as abandonando”. Sem radicalismos e sem cedências: “no meu ponto de vista” faz sentido que durmam no próprio quarto. Ou seja, é preciso encontrar boas rotinas para as crianças, dar-lhes tempo para as crianças acalmarem, como o facto de os deitarmos cedo ao invés de os cansarmos de mais; a tentativa de autonomizá-los no processo de adormecer, mas sempre com segurança”.


Com ou sem história?


“A parte da história é muito importante e é um momento de carinho entre pais e filhos, só que as histórias mais tradicionais envolvem bruxas, lobos que querem comer avós e netos e madrastas más. E o sono, como uma componente quase castigo : a Branca de Neve é posta a adormir para sempre até que alguém a salve, a Bela Adormecida pica o dedo até que alguém a salve”.

Se, como pai ou mãe, nunca pensou nisso, os mais pequenos, pelos vistos, sim. E, depois, surgem os medos. Filipa Sommerfeld Fernandes defende que “essas histórias são importantes para o imaginário das crianças, mas é importante que, na hora de dormir, não os lembremos da maldade nem das coisas más nem das coisas que metem medo!”. A pensar nisso, o livro de Filipa traz “ histórias originais que são pensadas para incentivá-los a dormir e para dar dicas também aos pais, importantes para que eles durmam melhor”. Para que gostem de dormir. E, assim,  a história do adormecer acabar com um final feliz.