A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo reuniu 7 mil assinaturas num abaixo-assinado contra a retirada da urgência cirúrgica dos hospitais de Torres Novas e Tomar e das cirurgias programadas dos hospitais de Abrantes e Torres Novas, noticia a Lusa.

Em comunicado, a comissão afirma que vai entregar no Ministério da Saúde o abaixo-assinado que visa a inviabilização dessas decisões do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT, que reúne os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas).

O texto reclama ainda «o aproveitamento integral de serviços, instalações e equipamentos» do CHMT.

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo (CUSMT) reuniu-se, a semana passada, com o conselho de administração do CHMT, lamentando que o Conselho Consultivo deste centro hospitalar não tenha sido ainda instalado.

Saudando medidas como a criação dos serviços de cuidados paliativos em Tomar, da unidade de cuidados intensivos polivalentes em Abrantes e da introdução do parto sem dor na maternidade de Abrantes, a CUSMT espera que entrem em funcionamento a unidade de cuidados continuados (Abrantes), o serviço de anatomia patológica e as farmácias nas três unidades.

A CUSMT tem vindo a reunir com os grupos parlamentares, aguardando apenas o agendamento das reuniões solicitadas ao PS e ao Partido Ecologista «Os Verdes», com as assembleias de freguesia dos três concelhos que acolhem as unidades hospitalares do CHMT, esperando ser recebida pelo Governador Civil e pelos responsáveis pelos Agrupamentos de Centros de Saúde da região, afirma o comunicado.