O Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais (SNBP) anunciou hoje que vai realizar, entre sexta-feira e 31 de dezembro, uma greve ao trabalho extraordinário nos Sapadores de Setúbal, criticando a falta de organização.

«Esta greve surge devido à má organização existente que prejudica o trabalho da companhia. O plano de escalas não é cumprido, sendo alterado sem justificação, e também não se cumpre o que está na lei em relação às rotações e ao período de descanso», disse à Lusa Fernando Curto, vice-presidente do SNBP.

O sindicalista deixou críticas à Câmara Municipal de Setúbal, liderada por Maria das Dores Meira (PCP).

«Esta greve não vai causar problemas na prestação de socorro, que está assegurado. Queremos é provar à autarquia que esta organização é uma falácia. Não há respeito pelos sapadores e não é cumprida a lei, sendo importante alertar a população de Setúbal para o que está a acontecer», frisou.

Fernando Curto referiu que a adesão dos Sapadores de Setúbal será de cerca de 100%, afirmando que existe união na luta.

«É uma autarquia do PCP mas que não respeita o direito dos trabalhadores. Vai haver uma forte adesão à greve, tendo em conta a maneira como decorreram os plenários realizados», disse.

A Lusa contactou a Câmara de Setúbal, que referiu ainda estar a decorrer um período negocial e que é prematuro estar a falar sobre o assunto.