Um grupo dos Bombeiros Sapadores de Setúbal voltou a despir a farda e os preconceitos por uma causa social e voltou a fazer um calendário solidário para ajudar diretamente as vítimas queimadas e alertar para a falta de uma unidade de queimados para crianças.

Sob o lema "Juntos ajudamos quem mais necessita", o calendário de 2018, que tem um custo de cinco euros, pode ser comprado diretamente na companhia ou na loja online e vai ajudar a Associação Amigos dos Queimados, uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) de âmbito nacional, que dá apoio a doentes queimados.

Em declarações à TVI24, Tiago Belchior, um dos promotores da iniciativa dos Bombeiros Sapadores de Setúbal, afirmou que apesar de quererem ajudar esta causa, os bombeiros querem "alertar também para a falta de uma unidade de queimados pediátrica".

Neste momento não temos uma Unidade de Queimados para crianças e é importante alertar para essa falha", afirmou.

No Facebook, essa mesma causa é mencionada, alertando que é urgente reverter essa situação. Atualmente, Portugal tem cinco unidades de queimados, mas não tem uma unidade específica para crianças.

"O dinheiro angariado irá reverter directamente na ajuda a vítimas queimadas, sejam pelos últimos incêndios a nível nacional , bem como outros que sofrem este tipo de lesões graves, quer seja em acidentes de trabalho, domésticos, entre outros. Queremos também alertar para um facto incontornável, que é a inexistência de uma unidade pediátrica para crianças queimadas. Gostaríamos, com a ajuda de todos chamar a atenção dos órgãos competentes para que se reverta esta situação urgente. Ao adquirir o seu calendário estará a contribuir directamente para a intervenção na vida destas pessoas", pode ler-se no Facebook.

Naquela rede social são muitos os comentários de apoio à iniciativa e que se mostram interessados em adquirir um exemplar do mesmo. 

Esta não é a primeira vez que os bombeiros de Setúbal se juntam numa iniciativa deste género. Quando a mesma surgiu, em 2013, Tiago Silva, o Mês de Agosto daquele ano, disse à TVI24 que a ideia "já estava pensada há alguns anos" e que não foi difícil reunir um grupo de sapadores capazes de se desinibir e posar para a objetiva.