Lisboa vai cheirar mais a sardinha a partir de agora. Os bairros enchem-se de cor e o Santo António é já na noite de 12 para 13 de junho. Há muito para festejar até 4 de julho.  Este sábado é o primeiro dia das comemorações.

As Festas de Lisboa arrancam então oficialmente na noite de amanhã, com uma viagem pelos últimos “Quinhentos” anos da história de Portugal e do mundo na Torre de Belém, num espetáculo de teatro, música e projeções multimédia. 

Os jardins da Torre de Belém, enquadrados na paisagem natural do rio Tejo, vão ser o palco da noite de abertura das Festas de Lisboa, juntando “universos artísticos diversos” para celebrar os 500 anos da construção da Torre de Belém e o 40.º aniversário das independências dos países africanos de língua portuguesa.

A preparar intervenções artísticas para espaços públicos desde 1979, a companhia de teatro francesa Ilotopie vai recriar, “num espetáculo dentro de água, uma história ficcionada da aventura portuguesa, desde que se lançou à descoberta do mundo, no século XV, até aos dias de hoje”, passando por momentos históricos como a Restauração da Independência, o Terramoto de 1755, a Revolução Industrial, o Estado Novo e a Revolução de Abril de 1974, cita a Lusa.

O espetáculo “Quinhentos” apresentará, também, “seis obras de arte, que saem das paredes de museus e são recriadas em projeções monumentais espelhadas a céu aberto”, na Torre de Belém, pelo Atelier OCUBO.

O ambiente sonoro desta noite de espetáculo será “inspirado nos quatro cantos do mundo”, com composições interpretadas pela Banda da Armada, os Beatbombers (Stereossauro & DJ Ride) e as vozes do Coro Infanto-juvenil da Universidade de Lisboa.
 

Novidades


Uma das novidades desta edição é o projeto Andar em Festa, que tradicionalmente era feito nos transportes públicos e que este ano vai passar para quatro escadarias da cidade: as do Panteão Nacional, do Miradouro da Rocha Conde de Óbidos, da Fonte Luminosa e do Jardim de São Pedro de Alcântara, com projetos artísticos diferentes, ligados à música e à arquitetura.

Como tradicionalmente, as marchas populares descem na noite de 12 de junho a Avenida da Liberdade, num desfile que reflete o trabalho dos bairros da cidade.

Ainda no programa das Festas, os tradicionais Casamentos de Santo António, a celebrar no dia 12 de junho, prometem levar milhares de pessoas à zona da Sé de Lisboa.

O Teatro nas Compras continua a fazer parte da programação das Festas, tendo como tema central o comércio tradicional, que vai dinamizar as lojas centenárias da baixa lisboeta, entre 18 e 27 de junho.
 

"Voz e Guitarra" e até para o ano


As Festas de Lisboa deste ano encerram com o espetáculo “Voz e Guitarra”, na Torre de Belém, às 22:00, nos dias 03 e 04 de julho, com a atuação de 26 artistas nacionais a interpretarem um reportório de música portuguesa dos últimos 30 anos.

David Fonseca, Dead Combo, Filipe Cunha Monteiro, Gisela João, Jorge Palma, Kalu, Luísa Sobral, Luís Represas, Mafalda Veiga, Márcia, Mário Delgado, Norberto Lobo, Olavo Bilac, Tim e António Jorge Gonçalves são os artistas que atuarão no dia 03 de julho, junto à Torre de Belém.

No dia 4 de julho atuam Ana Bacalhau, Ana Deus, António Zambujo, Carlos Nobre, João Pedro Pais, Luís José Martins, Luís Varatojo, Miguel Araújo, Moz Carrapa, Rita Redshoes, Samuel Úria, Sara Tavares, Sérgio Godinho, Tim, Vitorino e António Jorge Gonçalves.
 

380 mil no ano passado. E este ano?


Quanto às expectativas em termos de público para esta edição, a presidente da Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), Joana Gomes Cardoso, afirmou, segundo a Lusa, que “a tendência é para aumentar. O público tem tido tendência para participar cada vez mais”.

Em 2014, visitaram as Festas de Lisboa cerca de 380 mil pessoas, com as transmissões televisivas contabilizam-se dois milhões de visitantes, disse, por sua vez, o diretor de programação da EGEAC, Pedro Moreira.

As Festas de Lisboa influenciam também a ocupação hoteleira da cidade, que em 2014, “no mês de junho, aumentou 12%”.

Segundo Pedro Moreira, as Festas de Lisboa de 2015 contam com um orçamento de “cerca de um milhão de euros”.