O diretor-geral das Artes, Samuel Rego, revelou que os concursos de apoio às criações artísticas abrem em 2014, apesar de não haver calendário nem valores totais, que estão dependentes do próximo Orçamento do Estado.

A prioridade, disse Samuel Rego à Lusa, «é garantir que em 2014 existam condições para abrir novos concursos, que é o mais importante neste momento».

«Nós estamos a trabalhar para que 2014 seja um ano de estabilidade, e o facto de termos apoios a dois e quatro anos é um prenúncio da nossa vontade», reiterou.

O responsável governamental fez um «balanço muito positivo» dos concursos lançados este ano - fechados «a mais dos 70 por cento» -, que apoiaram 246 entidades e «lhes permitiu acesso a outros apoios, até não financeiros».

De acordo com a listagem de apoios publicada pela Direção-Geral das Artes (DGArtes) no seu site, o montante total de apoios de 2013, para todas as áreas artísticas (teatro, dança, música, artes plásticas e digitais, fotografia, cruzamentos disciplinares), ascende a perto de 13,072 milhões de euros, correspondendo cerca de 9,150 milhões de euros a 70 por cento do total. No final de julho, de acordo com o site da DGArtes, tinham sido pagos 5,628 milhões de euros.