Todos os meses, os militares da GNR recebem o seu vencimento no dia 21. Mas esta quarta-feira, ninguém na Guarda Nacional Republicana recebeu o salário, avança o «Diário de Notícias». São 25 mil efetivos. Em declarações ao DN, o comando geral da GNR assumiu que houve um problema.

«Houve um problema informático no nosso sistema que já foi identificado e está a ser resolvido. Significa que a partir da meia-noite de amanhã e nas primeiras horas do dia de amanhã os militares já terão os seus vencimentos processados», afirmou ao jornal o capitão Marco Cruz, porta-voz do comando.

É a primeira vez, na história da Guarda Nacional Republicana, que algo assim aconteceu. Através de um comunicado, a Associação de Profissionais da Guarda (APG/GNR) escreve que «muitos militares têm o pagamento das contas agendado para o dia de hoje» e, por isso, é preciso que «se apurem responsabilidades». Porque erros «desta dimensão» não devem acontecer.

Já o comando-geral diz desconhecer situações com prestações a «vencerem» hoje, mas garante que, caso existam, «os casos serão identificados e resolvidos».

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, também já se pronunciou sobre a situação. «É verdade, tive essa informação, creio que a GNR já fez um esclarecimento sobre essa matéria, mas a informação que me foi dada é que houve um erro técnico, lamentável evidentemente, mas a situação estaria resolvida amanhã e os militares ficariam com esse problema resolvido», afirmou, à margem da cerimónia de inauguração do novo posto da GNR de Vila do Bispo.

Miguel Macedo vincou que se tratou de um problema «ao nível do sistema informático, que gerou um erro de processamento em poucos militares, mas que foi suficiente para inviabilizar o pagamento hoje».