Guarda, Sabugal, Mirandela, Mondim de Basto e Seia são os concelhos de Portugal continental onde decorrem este sábado de manhã os incêndios florestais mais graves, segundo dados da Proteção Civil.

Segundo o balanço das 09:00 feito na página da Autoridade Nacional de Proteção Civil na Internet, ao início da noite de sexta-feira começou um incêndio em Lamas de Orelhão, em Mirandela, que esta manhã está a ser combatido por 141 bombeiros, oito elementos do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro da GNR e um operacional dos Sapadores Florestais.

O fogo estava, às 08:22, a desenvolver-se num local de difícil acesso aos veículos de combate, estando, por isso, «a ser efetuado o recurso a ferramentas manuais» e a três meios aéreos.

Na quinta-feira começou um incêndio na Aldeia Viçosa, na Guarda, que está a ser combatido por 185 bombeiros e 48 veículos.

Às 09:00, o fogo lavrava num local «de difícil acesso aos meios de combate terrestre», não havendo qualquer meio aéreo no local.

No Parque natural de Alvão, em Mondim de Basto, estão 15 bombeiros e seis veículos operacionais e um helicóptero a combater as chamas, que deflagraram perto da meia-noite, segundo informação das 08:24.

Também o Parque Natural da Serra da Estrela é palco de um incêndio, estando no local (em Louriga) 22 bombeiros e cinco veículos operacionais.

Na Quinta de Santo Amaro/Casteleiro, no concelho do Sabugal, estão 15 bombeiros, cinco elementos da GNR e 12 sapadores florestais, que estão a ser apoiados por 11 veículos e um meio aéreo.

O incêndio em Rego de Água, na Covilhã, que tinha 79 operacionais a trabalhar no combate às chamas, foi entretanto dominado.