A Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL) anunciou esta terça-feira que foi criada uma conta solidária para ajudar as vítimas dos incêndios que deflagraram nos dias 15 e 16 na região.

Numa nota de imprensa, a CIMRL informa que "está solidária neste momento difícil” para com as “vítimas dos incêndios que deflagram entre os dias 15 e 16 de outubro na região de Leiria, destruindo vidas, habitações, empresas e uma vasta mancha florestal".

Nesse sentido, a CIMRL anunciou que foi criada "uma conta solidária na Caixa de Crédito de Leiria, para que os cidadãos que pretendam, num gesto de cidadania e solidariedade, contribuir para ajudar as vítimas desta tragédia".

De acordo com a nota de imprensa, o apoio angariado será "aplicado de forma articulada entre os municípios e o governo, de forma que possa chegar a quem mais precisa, sendo esta informação partilhada a todos os que contribuírem para esta causa".

A conta tem o nome de CIMRL - Fogos 15 outubro Região Leiria, com o IBAN PT50 5180 0001 0000 0120 1476 7.

Também a Câmara de Oliveira de Frades abriu uma conta bancária para quem quiser fazer donativos para ajudar as vítimas dos incêndios ocorridos no dia 15.

De acordo com a autarquia, a conta “Oliveira de Frades Solidário” (com o IBAN PT50 0045 3191 4029 3226 5107 1) ficará disponível entre quinta-feira e 01 de novembro.

“Para total transparência, todos os movimentos contabilísticos da conta serão apresentados em reuniões de Câmara e nas sessões da Assembleia Municipal”, acrescenta, agradecendo “por todos os contributos e pela solidariedade demonstrada durante estes dias”.

S. Pedro do Sul abre conta solidária para reflorestação

A Câmara de S. Pedro do Sul abriu uma conta bancária para recolha de donativos que visam ajudar a reflorestar o concelho e reforçar os meios da proteção civil, atendendo aos incêndios que têm atingido o concelho.

Intitulada “S. Pedro do Sul Solidário”, a conta (como IBAN PT50 0045 3120 4029 3201 1558 6) será gerida única e exclusivamente pelo município.

“O Crédito Agrícola de Lafões isentou esta conta de despesas de manutenção e procedeu também a um donativo inicial de mil euros”, acrescenta.

O concelho de S. Pedro do Sul tem sido, nos últimos anos, alvo de vários incêndios que devastaram a floresta

As centenas de incêndios que deflagraram no dia 15, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram 45 mortos e cerca de 70 feridos, perto de uma dezena dos quais graves.

Os fogos obrigaram a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas, sobretudo nas regiões Norte e Centro.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos em Portugal, depois de Pedrógão Grande, em junho deste ano, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou, segundo a contabilização oficial, 64 vítimas mortais e mais de 250 feridos. Registou-se ainda a morte de uma mulher que foi atropelada quando fugia deste fogo.