O sapador florestal do agrupamento de empresas papeleiras Afocelca, que sofreu ferimentos graves, no sábado, quando combatia um incêndio em São Pedro do Sul, distrito de Viseu, está internado em Coimbra, com “prognóstico muito reservado”.

Fonte da Unidade de Queimados do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) disse esta noite, à agência Lusa, que o sapador florestal sofreu ferimentos graves e está com “prognóstico muito reservado”, sem adiantar “mais indicações”.

A vítima sofreu os ferimentos quando, integrada num contingente de operacionais da Afocelca, combatia as chamas que lavravam, durante a tarde, com forte intensidade, na Serra da Arada, no município de São Pedro do Sul, atingindo algumas casas dispersas e ameaçando algumas povoações, relatou então à agência Lusa o presidente da Câmara de São Pedro do Sul, Vítor Figueiredo.

O ferido foi transportado de helicóptero para o Hospital de São Teotónio, em Viseu, e, depois, transferido para Coimbra.

O incêndio, que já foi dominado, resultou do alastrar das chamas do fogo que arde em Arouca (distrito de Aveiro), desde o início da tarde de segunda-feira, 08 de agosto, sendo um dos que mais meios tem mobilizado.

De acordo com a página da Proteção Civil, as chamas em Arouca estão a ser combatidas por mais de sete centenas e meia de operacionais, apoiados por cerca de 250 meios terrestres, e onde, durante o dia de sábado chegaram a atuar em simultâneo dez meios aéreos.

Pelas 00:45, eram cinco os incêndios de grandes dimensões que lavravam no território continental, mobilizando cerca de 1.200 operacionais.

Àquela hora mantinham-se ativos 77 incêndios florestais, no total, cujo combate envolvia mais de três mil operacionais e cerca de um milhar de meios terrestres.