O contrato local de Segurança em Loures «está a ser um êxito», considerou este sábado o Ministro da Administração Interna, que esteve presente na assinatura do protocolo de adesão de 28 parceiros a este programa, escreve a Lusa.

«A quantidade de parceiros e a sua natureza provam a adesão da sociedade civil a este contrato local, um dos objectivos que pretendíamos», apontou o ministro.

Rui Pereira sublinhou ainda a importância da acção das forças de segurança neste projecto, considerando que é sua obrigação garantir a paz em todos os bairros através de um policiamento de proximidade dedicado.

Por seu turno, a Governadora Civil de Lisboa, Dalila Araújo, esclareceu que apesar da segurança ser responsabilidade do Estado, ela também deve pertencer ao cidadão e às instituições, apelando a uma consciência social colectiva, que considerou ser essencial para atingir os objectivos propostos no contrato local de segurança.

As 28 entidades signatárias que aderem a este contrato são de várias áreas de actuação e vão desde agrupamentos de escolas, associações de moradores, grupos culturais a instituições religiosas.

As áreas de intervenção prioritária deste contrato dizem respeito à prevenção da delinquência juvenil, da pequena criminalidade, da violência doméstica, dos comportamentos anti-sociais e dos fenómenos de insegurança.

Na assinatura do protocolo com os 28 parceiros, foi ainda apresentada a Estrutura de Missão Municipal, coordenada pela comissária da PSP Luísa Monteiro, a quem caberá a fiscalização e execução no terreno da implementação do programa, assim com do Dispositivo Operacional de Segurança que irá implicar o reforço de 19 efectivos da PSP nos três bairros afectos a este contrato (Apelação, Camarate, Sacavém).

O Contrato Local de Segurança foi assinado com a Câmara Municipal de Loures no dia 12 de Setembro de 2008.

Rui Pereira esteve também na inauguração das novas instalações dos bombeiros voluntários de Sacávem, que são as maiores do género da Península Ibérica.