O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Iraque (MOFA) chamou o seu embaixador em Portugal, Saad Mohammed Ridha, para consultá-lo sobre "os recentes incidentes atribuídos aos seus dois filhos".

A informação consta na página oficial do MOFA, na rede social Twitter. 

Esta terça-feira, a Procuradoria-geral da República esclareceu que não deu entrada no Ministério Público qualquer queixa formal por parte do embaixador iraquiano em Portugal, relativamente às agressões ocorridas em Ponte de Sor.

Num esclarecimento enviado à agência Lusa, a Procuradoria-geral da República (PGR) diz que, “até ao momento (…), não tem conhecimento da entrada no Ministério Público de queixa formal apresentada pelo embaixador do Iraque ou pelos seus filhos, relativamente aos factos ocorridos em Ponte de Sor”.

Os filhos do embaixador iraquiano, ambos de 17 anos, são suspeitos de agredirem um jovem de 15 em Ponte de Sor. Em entrevista à SIC na segunda-feira, deram a sua versão dos factos e garantem que estão a colaborar com a polícia sem terem invocado imunidade diplomática. 

Na semana passada, um jovem de 15 anos foi agredido em Ponte de Sor, distrito de Portalegre, e sofreu múltiplas fraturas, tendo sido transferido para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde se encontra internado em estado considerado grave.

Num comunicado conhecido na segunda-feira, a embaixada do Iraque em Lisboa alega que os filhos do embaixador agiram em legítima defesa, depois de terem sido "severamente espancados" e insultados por seis pessoas em Ponte de Sor.

A TVI apurou, entrentanto, que Ruben Cavaco já acordou do coma e deverá sair, ainda nesta terça-feira, dos cuidados intensivos do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde se encontra internado desde a agressão.