O fotógrafo João Gallo ganhou o prémio Joan Wakelin Bursary 2015. Pela primeira vez um português recebeu a distinção administrada pela Royal Photographic Society (RPS) em parceria com o jornal britânico The Guardian.
 

“Depois de uma escolha muito cuidadosa do tema e do seu escrutínio, fiquei convencido de que tinha boas hipóteses [de ganhar]. Roger Tooth [chefe de fotografia do The Guardian] confirmou que eu era o vencedor da edição deste ano”.


O prémio Joan Wakelin Bursary foi criado em 2005 em homenagem à fotojornalista Joan Wakelin, que faleceu em 2003. O Bursary oferece uma recompensa em dinheiro com o objetivo de apoiar a produção de um ensaio fotográfico, que deve documentar um tema referente à sociedade.

João Gallo afirmou estar entusiasmado com a oportunidade de poder produzir um trabalho de qualidade para a RPS e para o The Guardian, sobre um assunto crítico que esteja ligado ao seu país de origem, Portugal.

O fotógrafo é caraterizado por demonstrar nos projetos os desafios de viver no mundo ocidental, onde “décadas de uma pobre liderança, o fracasso do capitalismo e a imposição da austeridade foram corroendo a alma e o bem-estar da população”.

Um dos últimos trabalhos realizados retrata a peregrinação em Fátima, elaborado durante o ano 2015. Outro ensaio também em destaque é West London Tales, publicado em 2014.

Com ideias em execução no Reino Unido e em Portugal, João Gallo partilha o tempo disponível entre ambos os países.