A GNR reuniu «prova irrefutável» de uma rede organizada de assaltos a casas e lojas de Viana do Castelo, no concelho vizinho de Barcelos. Na sequência dessa operação, cuja investigação é feita há seis meses, identificou cinco suspeitos de 11 furtos. «Foram todos constituídos arguidos, sendo que possuem todos antecedentes criminais pela prática de crimes similares».

O comando distrital da GNR de Viana do Castelo adianta, num comunicado citado pela Lusa, que os cinco suspeitos, quatro residentes em Barroselas e um em Darque, todos do sexo masculino e de nacionalidade portuguesa, com idades compreendidas entre os 19 e os 26 anos «dedicavam-se de forma reiterada» à prática de crimes contra o património nas localidades de Barroselas, Mujães, Vila de Punhe, Alvarães (Viana do Castelo) e em Tregosa (Barcelos).

Durante a operação policial, realizada na quarta-feira em Barroselas, Viana do Castelo, que culminou uma investigação que decorria acerca de seis meses, os militares da GNR conseguiram reunir «prova irrefutável»que lhes permitiu concluir que os suspeitos «atuavam de forma organizada, preferencialmente durante a noite, e tinham como alvos preferenciais estabelecimentos comerciais e residências particulares».

Durante a operação, e no âmbito de quatro buscas domiciliárias, a GNR recuperou e apreendeu diverso material proveniente dos 11 furtos: desde material informático a máquinas fotográficas e telemóveis, e até uma motosserra elétrica, uma roçadoura, uma mesa de matraquilhos, bebidas alcoólicas e diversas ferramentas utilizadas para consumar os furtos.